17 de out de 2009

Dead Weather e o que as mulheres tem a ver com isso.


Por Paula Febbe

Assim que o “Dead Weather” (última banda de Jack White) surgiu, tive um certo preconceito. Sempre gostei dos trabalhos dele e foi exatamente por gostar muito de sua banda anterior (o The Raconteurs) que o “Dead Weather” me causou um desconforto. O primeiro pensamento para mim foi: “E o que vai ser do The Raconteurs?”

Mesmo de focinho virado fiz todo o esforço do mundo e comecei a assistir ao primeiro videoclipe da tão falada “nova-banda-de-Jack-White”. Em menos de um minuto, toda minha prepotência desmoronou. Não só pelo excelente single, mas também pelo vídeo que o acompanha.

A expressão “morrer de amor” soa familiar? Imagine se fosse possível enxergar a olho nu o quanto uma briga de casais pode machucar os envolvidos! É exatamente isso que mostra o clipe de “Treat me like your mother” do Dead Weather. A vocalista Allison Mosshart e Jack White vão de encontro com espingardas carregadas, como num duelo. Durante a música, começam a atirar um no outro. Acertam várias balas, mas nenhum dos dois morre. O charme maior fica para o destaque “humor negro”, quando no meio do duelo, Allison decide acender um cigarro, dando mais força à metáfora “briga de amor”. Jonathan Glazer, diretor do clipe, conseguiu ser um vanguardista notado numa época em que o maior dos vanguardistas se perde meio a tanta informação.

Mas não é só por causa deste clipe que o Dead Weather já fez algo grande. A nova banda tem chamado atenção para uma realidade frequente, mas que talvez seja pouco notada pelo mainstream. É muito interessante ver uma mulher que seja tratada com igualdade numa banda de homens e Allison é colocada exatamente no mesmo nível dos meninos da banda. Mais justo do que isso não existe!

Ok. Podemos citar Garbage,Yeah Yeah Yeahs, Velvet Underground, Juliette and the licks e várias outras, mas em todas essas bandas a mulher acaba se tornando uma frontwoman que parece só saber cantar enquanto for sexy. No Dead Weather, não...

Acho que não há nada errado na vocalista ser sexy, mas a verdade é que o Dead Weather tira essa sensação de necessidade desse tipo de postura das costas das mulheres que tem bandas. Alisson é bonita e sexy, sim, mas não se esforça horrores para isso. O que vem primeiro é a música. No lugar de saia, uma calça preta, no lugar de salto alto, botas de cano baixo, no lugar de blusinhas justas, jaqueta de couro (a mais legal do mundo, aliás) e no lugar de maquiagem, cabelo no rosto. E não, ela não é emo. Além disso, tanto no clipe quanto em todas as faixas do disco, Allison demonstra muita força. Talvez uma que fosse até desconhecida por grande parte do público que apenas a conhecia pelo The Kills. Não é pra menos que a música que abre o disco chama “60 feet tall”.

A postura da mulher igualitária também aparece em outra banda de Jack White: o White Stripes, claro! Meg faz parte do show. É simplesmente parte da banda e ponto final. Poderia ser um homem ou uma mulher lá que não faria diferença alguma. Aqui vamos nós novamente: Igualdade.

Obrigada por levantar a bandeira da igualdade, Jack! Quanto mais bandas forem assim, melhor para a gente!

Em relação ao “The Raconteurs”, realmente espero que continuem...Assim como espero ver mais de “The Dead Weather” e “The White Stripes” por aí também. As mulheres - e os homens - agradecem!




1 comentários:

Madafoker disse...

UHUUUUUUU não so fan de jack white =/


aeuhaeuhu mais é rock and roll comentado a eu te segui...
espero que vc faça o mesmo =D

21 de outubro de 2009 14:46