6 de mai de 2010

Terra Estrangeira “Oh, minha honey baby”...


Sim! Terra Estrangeira faz com que qualquer brasileiro se sinta estrangeiro em seu próprio país. O filme com teor político e social mexe com os sonhos e vontade de fazer uma boa vida fora do país, trazendo situações comuns num desenredar surpreendente. Um filme emblemático dos anos 90, que merece ser visto!

Paco poderia ser mais um garoto brasileiro, mas sua vida toma um destino inesperado, sua mãe, (interpretada pela magnífica Laura Cardoso), morre com o sonho de levar seu filho para conhecer suas raízes numa cidade da Espanha. Paco que sonha em ser ator espera por algo que pode mudar totalmente sua vida.

É interessante ressaltar a forma que Laura morre – logo no início do filme -, tanto pode ser interpretada de forma simbólica como se a nação morresse ao descobrir o “golpe” de Collor nas cadernetas de poupanças. A desilusão da personagem ao ver toda sua economia mesclada com os sonhos ir por água baixo. Paco, abalado e sem perspectiva de vida, acaba entrando em declínio.

É numa mesa de bar, bêbado, que conhece um misterioso homem, Igor (Luís Mello) que mudará seu destino drasticamente, num papel sedutor, recheado de diálogos inteligente e envolvente. Ressalto o momento em que Igor convence Paco a aceitar um “empurrãozinho” na sua viagem à Europa em troca de entregar uma encomenda a Portugal.

É aí que começa a grande aventura, sem saber o que era a mercadoria ele ruma numa longa viagem para entregar a tal encomenda para Miguel (Alexandre Borges), que é um músico viciado em heroína e contrabandista. Mas ao chegar a Lisboa descobre que Miguel está morto. Mesmo neste caos Paco se envolve com Alex (Fernanda Torres), namorada do falecido, e é nesse meio tempo que a tal mercadoria desaparece, gerando as situações mais dramáticas.

A película de Salles é um jogo elegante, com uma trama envolvente que combina com a coloração preta e branca das imagens, dando certo charme ao filme. A trilha que acompanha o filme é a linda música Vapor Barato, na voz de Gal Costa.


10 comentários:

vallentine disse...

gostei ..parece ser muito bom esse filme

6 de maio de 2010 06:56
Jhonny disse...

Parece bom o filme. Gostei da história! Vou assistir com certeza. Parabéns pelo blog. Abraço.

6 de maio de 2010 07:12
manoel leonam disse...

nada que walter salles faça pode me agradar.

6 de maio de 2010 09:19
Daniel Silva disse...

gal cantando o rappa? haha demais

pela descrição deve ser um bom filme.

abraço

6 de maio de 2010 09:23
Karla Hack disse...

Vapor Barato foi cantada por Gal Costa muito antes do Rappa - ainda na década de 70! E fica magnífico!!

Fiquei interessada em ver o filme, eu particularmente gosto dos nacionais.. acho que tem muita coisa boa sendo produzida!

;D

6 de maio de 2010 09:27
Luiz Brisa disse...

parece ser muito bom
qro ve
xD

6 de maio de 2010 10:09
Felipe Gozijo disse...

Apesar da minha preferência por cores, acho que Terra Estrangeira é uma obra de arte brasileira. Só isso.

O roteiro é construído de forma brilhante, como Walter Salles sempre é. Não gostei de algumas partes do filme, mas Gal Costa cantando é demais.

E por ter vivido a Era Collor, acho que esse filme foi uma das grandes obras primas da época, fazendo uma certa crítica ao contexto.

Apesar de que esse nao é um filme atemporal, a parte que tu falaste de mexer com os sonhos, creio que é apenas para aquela época, hoje não serve mais.

6 de maio de 2010 11:54
Macaco Pipi disse...

NEM CURTO ESSE TIPAO
NEM CURTO, PORRA!

6 de maio de 2010 12:18
Thamyzinha Iwasaki disse...

gostei do clip não conhecia, mais achei muito legal^_

xau

6 de maio de 2010 12:26
Francorebel disse...

Adoro esse filme do Walter Sales, adoro a canção da Gal, os atores, a fotografia, o enredo... esse filme é todo ótimo... belo post!

7 de maio de 2010 15:06