14 de abr de 2010

Vaticano perdoa, os Beatles não

Alguns dias atrás saiu no Jornal do Vaticano, L'Osservatore Romano, fez um tributo aos Beatles, com as seguintes frases “é verdade, eles usaram drogas; levados pelo sucesso, tiveram vidas dissolutas, até mesmo chegaram a dizer que eram maiores que Jesus, mas, ao ouvir as suas músicas, tudo isso parece distante e sem sentido”, completa o jornal. “Suas belas melodias, que mudaram a música pop para sempre e seguem nos despertando diferentes emoções, seguem intactas, como pequenas pedras preciosas”.

Uma maneira diferente de fazer as pazes com o Fab Four, em lembrança aos 40 anos do fim do quarteto de Liverpool. Até aí, tudo bem. Mas quem disse que eles querem ser perdoados? Ringo Starr, o baterista da mais famosa banda de todos os tempos, acha que não deve nada á Igreja Católica. E segundo ele, o Vaticano tem mais a dizer do que sobre os Beatles.

Engraçado que tudo isso aconteceu em um momento conturbado para o Vaticano, enquanto a Igreja Católica enfrenta diversas denúncias de casos de pedofilia. Esse perdão repentino seria só mais uma maneira de "abafar o caso"?

4 comentários:

Sharisflips disse...

o vaticano perdoa??

putz... como se eles fosse Deus.
nem comento.

14 de abril de 2010 15:56
Denyze disse...

Não acho que o Vaticano tenha tentado abafar os escândalos sobre pedofilia, pois uma coisa não tem nada a ver com a outra.
Ai já é perseguição, mas também não podemos aliviar este carma da Igreja, uma vez que por longos e longos anos, até mesmo homens de cabelos cumpridos eram considerados herege, e o rock era coisa do diabo!

15 de abril de 2010 01:04
30 e poucos anos. disse...

Por essas e outras q o catolicismo vem perdendo força cada vez mais

15 de abril de 2010 12:19
Fábio Bispo disse...

Está certo Ringo, a igreja já não pode com ela mesma, imagine agora ficar dando pitaco por aê em tudo que acontece no mundo!!!!

16 de abril de 2010 02:18