4 de dez de 2009

(...) por toda a minha vida, Raul Seixas


Ontem, eu assisti o Por Toda a Minha Vida pela primeira vez , só tinha ouvido falar depois do Claudinho e Buchecha, que foi emocionante e biriri.

Mas ontem eu assisti, porque era a vez do Raul Seixas, quem teve o peso de carregar esse fardo nas costas foi um ator gaúcho, parabéns a ele... fez o papel muito bem.

No dia da morte do Lombardi, conversávamos na redação sobre ídolos que morreram, uns contaram que choraram com a morte do Ayrton Senna, ficaram tristes com a morte do Lombardi, vão cair em prantos quando o Silvio Santos nos deixar, morte da Cássia Eller, Renato Russo, Cazuza, enfim... alguém que gostam muito.

Fui motivo de piada por ter comentado que não consigo ser apegado à uma imagem, desta forma, não chorei com a morte da Cássia Eller, nem com a do Renato Russo, muito menos com a do Ayrton Senna, mas nem pudera. Eu tinha poucos anos de idade quando estes morreram, com exceção da Cássia.

Vendo o Por Toda a Minha Vida novamente não chorei, não de correr lágrimas, mas me emocionei, senti falta do Raul Seixas, mesmo ele tendo morrido um ano antes de eu nascer, senti falta de alguém tão intenso no mundo, ele é uma imagem que eu idolatro, que eu venero, que eu sinto falta.

Antes, eu dizia "não consigo de apegado à uma imagem, desta forma". Agora, eu noto que meus ídolos já se foram, muito antes de eu nascer. Pode ser saudosismo, mas em um mundo onde mulher-fruteira faz sucesso e em um lugar onde a criatividade é pouco exercida e inovação quase inexiste, não tem porque eu me apegar em algo que vai passar e pode vir outro no lugar, ou melhor... ou pior.


12 comentários:

Edimar disse...

Respondo dessa forma: É você que ama o passado e não vê que o novo sempre vem...

E continuo: nossos ídolos ainda são os mesmos...

Existem centenas de Kurts, Malucos Beleza e outra dezenas de ídolos do passado que se repetem aqui e acolá... Eu tbm nunca chorei por um (ainda) mas quando pessoas marcantes morrem tu sempre fica "OMG", mas chega de ficar bla bla bla pq eu tenho mania de ficar tentando justificar as coisas... hhehehhe VERY NICE O TEXTO MY FRIEND (indian sotaque)

4 de dezembro de 2009 09:48
LADY DARK ANGEL disse...

DIZEM WQUE O RAUL FOI O CARA E AINDA E O CARA,EU NUKA ASSITI POR TODA MINHA VIDA
MAS A GLOBO FAZ ALGUMAS COISAS BM FEITAS

4 de dezembro de 2009 10:17
Pobre esponja disse...

Nossa, passou ontem... que pena, nem sabia!
Raul foi , talvez, o único marginal de canções popular que existiu nesse país. O melhor são as estórias que se escutam na noite sobre ele, de pessoas que deveras conviveram com ele ou gente próxima dele. São estórias que não estão no gibi - nem em nenhuma biografia!

abç
Pobre Esponja

4 de dezembro de 2009 10:41
Daniel Silva disse...

eu não vi.. nunca dei toda essa bola para o raul, apesar de ele ter boas músicas e ideias.

abraço

4 de dezembro de 2009 10:52
Nova Quahog disse...

o que mais gostei foi o do RENATO RUSSO!

4 de dezembro de 2009 15:20
Anônimo disse...

Fpoi uma grande homenagem, Raul foi o grande ídolo do nosso rock, merece ser sempre homenageado.

BLOGdoRUBINHO
www.blogdorubinho.com.br
www.twitter.com/rubenscorreia

4 de dezembro de 2009 15:26
Johnny & A Divindade dos Crimes disse...

tu escreveu exatamente o que senti ontem de noite. só que eu fui dormir chorando.
cara, sinto saudade por algo que não vivo, não conheci.
me mato de saudade pelo barbudinho aí. e eu me sinto mal..
mas não há de ser nada!
ótimo texto mesmo!
se tu gostas de música.. dá uma passada no meu blog, escrevi um artigo legal sobre.. :D

4 de dezembro de 2009 15:42
Johnny & A Divindade dos Crimes disse...

tu escreveu exatamente o que senti ontem de noite. só que eu fui dormir chorando.
cara, sinto saudade por algo que não vivo, não conheci.
me mato de saudade pelo barbudinho aí. e eu me sinto mal..
mas não há de ser nada!
ótimo texto mesmo!
se tu gostas de música.. dá uma passada no meu blog, escrevi um artigo legal sobre.. :D

4 de dezembro de 2009 15:42
seuvicio disse...

Ficar babando em cima de ídolos é babaquice. Gente é gente, com acertos e erros, essa de construir ícones é frufru pra imprensa lucrar em cima.

4 de dezembro de 2009 17:08
Lina disse...

Infelizmente não assisti tal programa...

Mas comento a genialidade e irreverência do Pensador em suas verborragias musicais...

"Canto p/ minha morte" é uma dae minhas favoritas... A admiração com a aceitação entrelaçada lindamente pelas letrinhas de Raul...


http://gritosquenaodei.blogspot.com

7 de dezembro de 2009 14:00
Expressões disse...

Nossa! O raul é o cara ;)

8 de dezembro de 2009 10:37
Portal Raul Seixas disse...

Belo texto.

O Especial poderia ter citado algumas fases do Raul, creio que algfases importantes de sua história foram cortadas, deveriam ser pelo menos citadas, algumas delas: a fase do Sociedade Grã Ordem Kavernista e fase do Abre te Sesamo.

Estou aqui, para se me permitir divulgar um novo site sobre Raul Seixas na internet: O Portal Raul Seixas. É um grande Portal com informações sobre a Obra e Vida do Maluco Beleza. Para quem quiser conhecer mais sobre Raul, Segue o link:

http://www.portalraulseixas.com

23 de dezembro de 2009 08:35