13 de jul de 2009

Viva "aos Rocks brasileiro"


Que hoje é o Dia Mundial do Rock todo mundo sabe, mas não iremos só homenagear o dia do Rock onde a batida é o que conta, o som eletrizante da guitarra e as vozes ora feliz ora melancólica, que atraem multidões desesperadas pelo sentido que a música há de passar. Sim, ao sentido da música!
Por isso meus caros a cultura que transcende é sem dúvida a brasileira e, se o rock brasileiro realmente existe, a sua existência se deve a uma das piores épocas já vividas na política do país: a ditadura.

Ressalto isso com a infelicidade de não ter tido a oportunidade de ouvir no momento claustrofóbico da sociedade, as batidas ensurdecedoras dos Mutantes, as tiradas criativas na época dos Tropicalistas e muito menos as composições inteligentes e categóricas de Chico Buarque, Milton Nascimento, Caetano Veloso, Geraldo Vandré, Gilberto Gil, entre outros que usavam na voz: a cultura, a arte, e a mente para protestar ao som de uma sociedade, na época, analfabeta musicalmente. Eles vinham para escandalizar e dizer ao poderio: Cálice.

Em torno de 1970 o rock’n’roll foi condenado por grande parte da sociedade no país, e acreditem meus caros, o que mais enfurecia os analfabetos era o uso do piano ou da guitarra elétrica, com o seguinte argumento: eram ideológicos e não estéticos.
Só que ninguém percebia, que Milton Nascimento e Beto Guedes ao cantarem Norwegian Wood, dos Beatles, conseguiram abrasileirar a música e criar uma identidade: a identidade do Brasil.

Agora me digam: que país usufruiu tão bem da música que ao fazer dançar ela também te fazia pensar?

Aqui o rock vira samba, a MPB é pop, do pagode ao funk, e a musicalidade da ginga com a dança, e o requinte do atrevimento. Ah! Como somos atrevidos!
Aqui tudo é legitimamente brasileiro, porque aqui se cria e se transforma. Nós inventamos protestar em forma de arte e isto o Brasil soube fazer muito bem.

3 comentários:

Rodrigo Gil disse...

Belo Post dona Clarissa! Realmente na época da ditadura nossa música brilhou e se destacou! Mas creio que nossos músicos não são mais tão brilhantes como eram, a capacidade que eles tinham de compor acabou junto com o período do regime militar, eles já não escrevem como antes, acho isso ridículo, pois prova que, o que os fazia ser tão bons era a pressão exercida pelo governo. Não os reverencio, tão pouco os admiro, músico tem de fazer música em qualquer época, sob qualquer situação! Mas mesmo assim a música, ou o rock brasileiro também, está de parabéns, graças a outros cantores e compositores, diferentes de Chico, Gil, Caetano e por ae vai! Beijos

13 de julho de 2009 16:13
Inez disse...

Eu vivi essa época e posso dizer sem sombra de dúvida que foi a melhor época da música brasileira.

13 de julho de 2009 20:15
Ana Lucia Nicolau disse...

interessante, essa postagem fez com que eu refletisse sobre as mudanças culturais do decorrer do tempo e como interferem nas manifestações artisticas....
na época da ditadura a situação politica conduzia a tendencia artística a uma postura de de oposição

13 de julho de 2009 20:20