2 de mai de 2010

Atlântida Festival, um show de festival

"Porto Alegre é rock", gritou o Chorão, o Lucas, o Digão e o Tico Santa Cruz, óbvio que não gritaram ao mesmo tempo, foram momentos diferentes e em contextos diferentes, mas no mesmo lugar: o Atlântida Festival.

Bem que eu estou devendo pra vocês um textinho pequeno, mas acham isso possível em um festival onde se encontram nove ótimas bandas? Acho que vou continuar devendo essa pra vocês, como vou falar pouco de uma maratona com Doyoulike, Armandinho, Strike, Raimundos, Fresno, Charlie Brown Jr, Nx Zero, Hori e Detonautas?

Não tem como, eu poderia muito bem fazer uma postagem com cada show, que renderia conteúdo pro resto da semana, mas como as coisas vencem, então vamos lá para a postagem gigante que nos espera, sobre o maior festival indoor do Brasil.

Bom, antes de falar dos shows, quero falar da organização deste evento. Como eu fui no primeiro, pude perceber umas diferenças grandes entre o terceiro (este) e o primeiro AF. No primeiro teve muitas pessoas reclamando dos banheiros, do atraso dos shows, da comida fria e de muitas outras coisas, reclamações que pouco ouvi desta vez, inclusive a comida era muito melhor, tanto no VIP quanto no bar da pista.

Começando que os shows tiveram uma cronometragem exata, começavam e terminavam pontualmente, com uma facilidade incrível dava para se saber quando iria começar qualquer show, no primeiro também teve várias bandas trocando o horário e desta vez, apenas a Hori trocou com o Armandinho, o que aumentou a expectativa em torno da banda.

Eram 14h quando os portões da FIERGS foram abertos para receber as 20 mil pessoas que esgotaram os ingressos, quando o Neto Fagundes anunciou o início do Atlantida Festival 2010, batia 16h30 no relógio e tinha muitas pessoas do lado de fora ainda, a pista estava vazia, logo depois entrou a Doyoulike.



Bom, algumas pessoas podem nem saber que banda é essa, mas é uma banda gaúcha em ascensão que mostraram uma personalidade imensa, perante o público, com uma interação importante, a banda já tem seus fãs e está conquistando cada vez mais espaço, o show durou cerca de 40 minutos.


Cada show tinha um intervalo de 30 minutos e após essa espera, quem sobe ao palco é o regueiro do Armandinho, com sua banda. Um dos melhores shows da noite. O músico mostra uma energia quase fora do comum, além de ser super simpático com a plateia. Armandinho também abriu espaço para seu amigo Nego Joe mostrar um pouco do seu trabalho, além de acompanhá-lo na música Rosa Norte. Armandinho saiu do palco deixando a galera em êxtase, em um show super movimentado.

Quem veio logo após foram os garotos da Strike, que tem uma presença de palco super completa, eles participam com a plateia, usam todo o espaço que é dado no palco, pulam, gritam e brincam. Como era aniversário do Marcelo, vocalista, então o show ficou em clima de festa e como presente para a plateia veio o cover de Blink 182, com a música All The Small Things. Strike fez todo mundo pular e deixou o pessoal bem alerta para o que vinha logo após, ao chamar o Digão, do Raimundos, no palco e cantar Mulher de Fases.

Eram 21h, quando o Raimundos subiu ao palco, não esperava muito da banda, já que ela tinha ficado meio indiferente desde a saída do Rodolfo e, para mim, Tico Santa Cruz é e sempre será Detonautas, mas admito que eles conseguiram me surpreender, apesar dos problemas técnicos, das reclamações e das falhas no som, Tico Santa Cruz comandou bem a banda e parece estar familiarizado, já que vai ser o vocalista da nova turnê. Inclusive as músicas mais antigas, como A Mais Pedida, Me Lambe, Reggae do Maneiro e, óbvio, Mulher de Fases ficaram boas, com o novo vocalista e também com o vocal do Digão, e a galera gritava "RAIMUNDOS!". Os holofotes estavam em cima da "pseudo-briga" no twitter entre o vocalista do Nx Zero com o Tico, mas ele disse que já estava tudo resolvido, inclusive já se encontraram pra jogar sinuca juntos.

As meninas começaram a gritar, algumas choravam, estava ali o começo do show da Fresno, às 22h30, a banda subiu ao palco para levar as gurias à loucura. Durante a apresentação deles foi quando vi mais lágrimas, os projetos solos do Tavares e do Lucas pareceram não afetar em nada o rendimento deles no palco, fizeram um show cheio de riffs pesados e puxando inclusive as músicas mais antigas, como Onde Está, que foi a canção que os alçou para o sucesso, e o público cantou em coro.

Em quesito animação e domínio das pessoas, Charlie Brown Jr ganha nota dez. A banda entrou no palco era meia noite em ponto, quando o pessoal tava começando a pegar no sono, após a Fresno, já tinha gente sentando no chão, afinal já tinham sido 6h de shows. O Chorão mostrou toda sua simpatia e sua criatividade durante a apresentação, chamou o público pra participar, fez um belo discurso, conversou com as pessoas e mandou muito com as músicas tanto novas quanto as clássicas, o pessoal se levantou e acompanhou do início ao fim.

Bom, ainda faltava meia hora pra começar outro dos shows mais esperados da noite e as pessoas já estavam se atirando no chão, algumas dormindo, outras deitadas apenas descansando, mas quando o Nx Zero entrou no palco, uma onda de animação pareceu ter invadido a FIERGS, muitas pessoas ainda continuavam deitadas, mas a grande maioria já estava novamente virada para o palco. O show do Nx Zero era um dos mais esperados com razão, os guris amadureceram, ganharam o meu respeito, fizeram uma apresentação linda. Contaram a historia por trás da composição Cedo ou Tarde, fizeram o guitarrista se emocionar e a plateia também, além dos covers de Tim Maia, feitos na hora para brincar com o pessoal e para provar o clima de amizade, Tico Santa Cruz foi convidado para subir no palco e cantar junto.

Nesse clima de brincadeira, eles aqueceram a plateia pra outro dos shows mais esperados da noite, talvez nem fosse o show, mas o integrante por si só, Fiuk é o nome dele. Bom, Hori entrou no palco sem o garotão filho do Fabio Jr., mas quando ele apareceu os cartazes cheios de recadinhos amorosos apareceram também, novamente as meninas caíam em prantos, o show, para mim, foi desgastante, pra falar bem a verdade, já eram 3h da manhã e - caiam em cima de mim agora - a banda nem é boa, para mim. Uma certa falta de criatividade e maturidade parece faltar neles, não me surpreendeu ao ver pessoas deixando a pista, que estava praticamente tomada por garotas.

Para fechar o festival, a banda escolhida foi o Detonautas, para agraciar quem aguentou até às 4h30 da manhã para ver o Tico Santa Cruz voltar ao palco com sua banda de formação. O shows deles foi cheio de energia, para um público quase morto, mas Tico pareceu não se importar, conversou com a plateia, pediu para cantar junto e recebeu retorno. Chamou o Digão para cantar Quero ver o Oco, fez cover de Guns 'n Roses e Raul Seixas, além de fazer algumas milhares de pessoas se aguentarem de pé e pulando até às 5h45 da manhã, que foi quando ele agradeceu e fez seu discurso final, antes de deixar o palco para o término do Atlântida Festival, após 12h de festa.

Todas as bandas tiveram um ótimo retorno do público, algo ótimo para Porto Alegre, que não teve preconceitos com nenhuma banda, de Nx Zero para Raimundos, passando por Armandinho e Charlie Brown Jr, são estilos diferentes para um público extremamente variado que esteve presente no maior festival indoor do Brasil. E, como eu disse, cada show tinha um intervalo de 30 minutos, e para o pessoal se divertir nessa meia hora, o grupo RBS e a Nova Schin preparam uma tenda especial com funk todo o tempo tocando, além de que a Coca-Cola preparou uma tenda para dar brindes, além de dois playstation 3 pra galera jogar um futebolzinho e esperar passar o tempo.

Realmente, o Atlantida Festival 2010 foi ótimo e agora tem a ambição de ser o maior festival indoor da América Latina, vamos ver o que eles preparam para o ano que vem. Veja mais fotos do evento.

2 comentários:

Daniel Silva disse...

só coisa ruim. mudou de nome? pra mim era Planeta Atlântida. só emo escroto e bandas que já estão se apagando faz tempo!

2 de maio de 2010 21:44
Cissa disse...

Mto bom o texto, me senti no festival. Mas não sei se iria, nenhuma banda me chama atenção, sendo que minha experiencina num show do Charlie Brown Jr. foi de quase morte por esmagamento.

Escuta, tu foi anotando tudo que acontecia ou simplemente lembrou? mto detalhe..me de as dicas... :D

3 de maio de 2010 11:03